terça-feira, 17 de junho de 2008

Torturante, incerteza instigante


11/06/2006

Estou cego para o mundo
Vivendo triste
Como se pra mim a felicidade não existisse
Sinto que caminho a um poço sem fundo

Amada minha, foges de meu lado
Sinto meu coração ferido
Percebo tudo perdido
Não sou digno de tê-la, fico conformado

Sozinho procuro a metade
Me parece impossível
Achar tu, luz da verdade

Verdade que me traz confiança
Encontro com a vida
Sei, difícil, aqui esperança




De fato não é um poema que pode despertar algum interesse, suas rimas não são tão atrativas, mas atesto, na ocasião, escrevi aí toda a minha tristeza e decepção.


AUTOR: Maico Fernando Costa

Nenhum comentário: