segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Molhada Margarida


Serena doce olhos de mel
Belos lábios, tens cor cerejeira
Dê-me vícios incessantes de primeira
Jogue indícios instigantes brando céu

Verdade vã tocar-te por representação
Disparidade sã repousar simples saudação
Naquele dia, embora parecesse irreal
Teu sorriso surgido reinou real

As palavras traçam perfis comunicativos
Delineiam curvas sutis em acordo
Conteste dourada justa! Contos argumentativos

Oh querida bela apreciada donzela
Montante mesclado molhada margarida Estela
Sadia simpatia semeada saudosa singela


M. F. C

Um comentário:

bianca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.