terça-feira, 27 de março de 2012

Vozes não falam

Desacelera coração não amparado
Suas penas remontam quadro
Atormenta-te malgrado monte situante
Vozes falam por implante

Medo meu, medo teu informado
Bate roda lua nova
Vai contigo, manso cansado
Vale prova a nota

Calei ante o muro
Misto de dor, susto!
Desacelerou-se, louco pião incontrolável

Levemente se pensa pensar
Solenemente se incomoda incomodar
Vozes falam em viver


M. F. C.



Um comentário:

Andrew disse...

Interessante seu Maico e sinto um ar de ambiguidade no ar. E tambem uma ironia de leve - mas é obvio que um cara chique no ultim como vc não faria uma ironia sem manter a classe! Belas palavras rapagão!